Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte

CRONICA E ARTE  CNPJ nº 21.896.431/0001-58 NIRE: 35-8-1391912-5 email cronicaearte@cronicaearte.com Caixa Postal 43,  14870-970 Jaboticabal SP
-O “careta” é mais moderno. O dito moderno é o verdadeiro careta. A insuspeita paisagem é prova disso. É só querermos enxergar. Vemos que o “moderno” agora é o Pabllo Vittar e seus seguidores “apóstolos. ” Antigamente (até pouco tempo atrás), lembro que era tido como bobo todo jovem que acompanhasse novela das oito, hoje em dia, como o tema central da última novela foi o de gênero, reparei que ninguém teve muita coragem de falar mal da novela. Como se estivessem conservando um depósito sagrado; opa, não pode conservar, logo, serás conservador. E isso é palavra proibida. Até o Dráuzio Varela andou dando palestra sobre o tema. As inacabáveis tatuagens. Quem não tem nenhuma, tem sérias tendências a ser “puro, casto e provinciano”, pensam, “pessoa que não gosta de balada”. Para maioria dos modernos, balada é apenas a Rua Augusta. Não sabem que bem antigamente, na mesma Rua Augusta, os jovens colocavam um bloco de gelo em cima dos trilhos e deslizavam em cima. Careta, não? Por um princípio mal-ajambrado, as pessoas levam suas vidas numa boa, tentando se encaixar: comendo mal, abstendo-se de carne. A vida sem sabor. Ou apela para a vestimenta, trajando-se mal. Tem pessoas que acham tão difícil deixar de tomar Coca-Cola, o comunismo engarrafado. “Ninguém é de ferro, não? ” Em qualquer lugar que for, haverá Coca, e sempre terá o mesmo sabor. Isso sim é uma caretice e brutal desvantagem. Se alguém moderno cantar que a mulher é vadia, os seguidores, em tempo real, acabam achando um jeito de defender o ‘genial’ e incompreendido autor com profundas investidas para absolve-lo, ou, dando a resposta na hora, como um computador, fazendo você careta ‘entender’ a mensagem, já íntimos de ligação com o artista. São os que mais reclamam da polarização das coisas e os que mais ajudam a chegar- se a isso. “Se você não gosta, deve ser da turma do mal. ” São verdadeiros nadadores que vivem imersos em relativismo, colocando tudo e a todos num mesmo grau, como se a vida não tivesse gradações. Assim é mais fácil. É a ótica do pirata sem a lupa. Vejo que o “careta” é mais moderno. Ele toma vinhos. Sabe que há mais diversidade e mais desigualdade no sabor. Evita falar palavrão, e se os usa, são palavrões mais concisos, e todos riem mais. É humilde e tem mais noção de sua insuficiência. É mais dono de si mesmo e sabe que há desigualdades entre as coisas. Um dos males invisíveis mais nefastos, e avassaladores da inteligência: o politicamente correto, de forma alguma o dito “careta” o é. Não fala “morador em ‘situação de rua’" pois sabe ele que se o morador é de rua, logo a situação atual é a de rua. Não leva a sério o feminismo, nem socialismo. Sabe que no feminismo, todas se enfeiam de propósito. Usam de um mesmo traje do ódio, dos slogans mais rasteiros e são mais de passeata do que chegada aos livros. Socialistas são dinossauros que não sabem ler e tem a cabeça de granito, é parado no tempo, não mudam. Os “caretas” são desconfiados das certezas que criam e tem ciência que são fenômenos modernos e passageiros. Consegue enxergar contradições do mundo e de si mesmo, tendo melhor compreensão das coisas, mesmo estando calado, mas sem deixar de observar. Sabe que o jovem é um tolo e tem consciência que já foi um e isso não tem nada de ruim, pois há algumas tolices que fez no passado e que se orgulha. Respeita mais a sabedoria dos velhos que já tenham alguma dignidade, do que os “tios” e “tias” do “mainstream”. Cultua e não acha nada de brega alguém ter um cabelo sem necessidade de estar colorido. Tem tendências a tomar suco natural. Come mais frutas e vegetais. Não vangloria fast-food. Veste-se com modéstia. Assiste aos clássicos não só por uma necessidade e certa ‘obrigação histórica’ e respeito, mas porque sabe que é melhor. É paciente. Romântico na medida. Um realista moderado. Não vai na onda de frequentar academias só porque todos vão. Não troca constantemente de celular. Não cai muito em ondas e se já caiu uma vez, esforça-se em não cair mais. Le livros e frequenta bibliotecas, não beco do Batman e posts do facebook. Não estuda só inglês e espanhol, mas também francês e italiano - ou até mesmo o latim. Sabe que o café do Sesc é apenas um café, sem nada demais, e que na essência todos os partidos políticos são iguais, mas que só o PT possui mais bovinos, mais viúvas e os “fieis- negadores”, que em verdade, são os mais obstinados petistas; logo, sabe que é o pior de todos, e que tomam conta de toda a paisagem, assim como os neo-evangélicos. Não vê nada do nada Jean Willis, psol, mídia ninja. Consegue identificar os que tem gogó dos realmente inteligentes. Tem abjeção a populistas. Sabe votar. Não é puxa saco de democracia, não fala “crítica construtiva”, e as aceita quando as recebe. Não fala ‘lacrou’, e acha arte de rua uma enganação danada. Não se sente inferiorizado porque fulano é da USP ou PUC. Enfim... só tem que parar de andar colado à parede, às vezes tem que tomar postura de chato um pouquinho, sair do caracol. Evitar as meias verdades, perder amizades, tomar um porre monumental com classe e mandar todos os chatos para p@#$%#!
Pedro Bueno Nascido em Barretos, Pedro Bueno é um romancista ainda sem cria, e afinado cronista da vida em São Paulo, onde segundo ele, sobrevive. Escreve para revista virtual Contos & Letras, tendo uma coluna intitulada de ‘O golpe da língua’, onde fala de literatura. Apegado a memória e ao cinema, transcreve tudo para seu computador, seu mais íntimo confidente das palavras. Já se aventurou pelo teatro, e segundo ele, o que o estraga e o fez sair, foi um culto a coletivização das funções de cada, onde o trabalho de autor é deixado de lado
FATOS & IDEIAS COM pedro bueno
foto reprodução internet