Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte

CRONICA E ARTE  CNPJ nº 21.896.431/0001-58 NIRE: 35-8-1391912-5 email cronicaearte@cronicaearte.com Rua São João, 869,  14882-010, Bairro Aparecida Jaboticabal SP
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO PROCESSA JUIZ DA CAPITAL DO ESTADO QUE LEVAVA PARA SUA CASA GARRAFAS D’AGUA DO FÓRUM. Mentore Conti Mtb 0080415 SP // foto Agência Brasil Jaboticabal, 10 de julho de 2020 O Tribunal de Justiça de São Paulo instaurou um processo administrativo contra um juiz, da capital paulista, que foi acusado de levar garrafas de água mineral do fórum para sua residência. Segundo consta o juiz todas as vezes que ia até o fórum onde trabalhava, colocava em uma mochila garrafas de água e as levava embora. Este fato provocou um aumento no fórum, de um consumo de água, equivalente a 240 garrafas por mês, o que totalizou 6,5 litros por dia. O juiz pegava as garrafas de água na copa do fórum. No processo também consta que o juiz não conferia decisões e delegava a tarefa de decidir para auxiliares e geralmente não ia no fórum de segunda-feira, além de usar palavrões contra colegas de trabalho. A conduta apurada fere dispositivos da Lei Orgânica da magistratura, como consta na apuração do Órgão Especial. A Assessoria de Imprensa do Tribunal de Justiça disse ao site Crônica e Arte, que o expediente administrativo tramita no Órgão Especial do Tribunal e na última semana esse Órgão Especial, por unanimidade rejeitou a defesa prévia do juiz e mandou instaurar processo administrativo disciplinar, que pode ou não resultar em Sansão (punição).  É um caso estranho para não dizer sui generis, pois ninguém consegue imaginar que um juiz com salário bem acima do que recebe a média da população, se utilize do expediente de subtrair garrafas de água mineral do fórum onde trabalha. É do conhecimento geral que uma garrafa de água não custa muito caro e aqui não estamos falando de uma outra garrafa de água, mas um número de garrafas de agua que excede o razoável.  É estranho pensar, mas se o caso se tratasse de um furto de garrafas de água ao invés de um processo administrativo, como se tornou agora, seria um furto de bagatela? (ou seja um furto de objeto insignificante), mas se o consumo de água do fórum aumentou em seis litros e meio ao dia, então não era um ato insignificante, tanto que o expediente se transformou agora em processo administrativo.  Seria sede? ???? Claro que não estamos esquecendo que além de levar as garrafas d'água para casa (não poucas) o juiz ainda não conferia as decisões que proferia e, ofendia quem trabalhava com ele, mas em todo caso, levar as garrafas d'água é um fato praticamente único, estranho. Realmente estranho... no mínimo estranho...