Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte

CRONICA E ARTE  CNPJ nº 21.896.431/0001-58 NIRE: 35-8-1391912-5 email cronicaearte@cronicaearte.com Rua São João, 869,  14882-010, Bairro Aparecida Jaboticabal SP
CESARE BATTISTI FOI PRESO NA BOLIVIA E DEVE SER LEVADO PARA ITALIA Grupo de trabalho investiga rede que deu proteção ao terrorista. Mentore Conti Mtb 0080415 SP incluindo informaçoes de periodicos italianos// foto “il Messaggero -  (de Roma)” Jaboticabal, 13 de janeiro de 2019 O criminoso Cesare Batisti, foi preso na Bolívia pela polícia Boliviana e deverá fazer escala no Brasil antes de ser enviado para Itália. Esta decisão foi anunciada pelo ministro do gabinete de segurança institucional General Augusto Heleno após a reunião no Palácio do Planalto com o presidente Jair Bolsonaro, o ministro da justiça e segurança pública Sérgio Moro e o chanceler Ernesto Araújo. Batista foi preso em Santa Cruz De La Sierra ontem dia 12, por volta das 17 horas. Antes da reunião o Primeiro-Ministro Italiano Giuseppe Conte chegou a informar que um avião do governo italiano estaria indo para Bolívia para buscar o criminoso. O General Heleno disse que Batisti será trazido para o Brasil em um avião da Polícia Federal e trocará de avião antes de seguir para a Itália, já que o avião que vem buscar o italiano na Bolívia não tem capacidade para voar direto até a Europa, sendo necessária a escala A decisão de trazer Batisti, para o Brasil foi tomada conjuntamente com o governo italiano, por causa de questões de segurança Cesare Battisti está condenado na Itália a prisão perpétua pelo assassinato de 4 pessoas na década de 70, quando integrava um grupo denominado proletários armados pelo comunismo. Este grupo foi um braço das brigadas vermelhas (que entre outras ações assassinou em 1978 o primeiro Ministro Italiano de Então Aldo Moro. Battisti se diz inocente, mas para as autoridades Brasileiras ele é considerado um terrorista. Batisti chegou no Brasil em 2004 e foi preso três anos depois. O governo da Itália pediu sua extradição, que foi aceita pelo pelo Supremo Tribunal Federal mas que deixou uma válvula de escape para o terrorista. O STF deixou a decisão para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que no último dia de seu governo disse que o terrorista ficaria no Brasil e este ato presidencial em seguida foi confirmado pelo supremo tribunal federal. O advogado de Battisti na época foi Luís Roberto Barroso, que depois veio a ser Ministro do STF empossado nas administrações do PT No último dia do governo Michel Temer o STF decidiu pela extradição. A medida era defendida ainda em campanha pelo presidente Jair Bolsonaro. Segundo o ministro italiano das relações exteriores Enzo Moavero, a extradição se trata de um ato de justiça, diante dos pesados crimes cometidos por Battisti. Segundo consta Cesare Batisti será extraditado o mais rápido possível e para isso estão sendo desenvolvidos todos os esforços. Em relação à extradição não há mais nenhum documento a ser feito, pois tudo tinha sido regularizado no último mês de dezembro e porquê contra Battisti tem condenações definitivas Quando foi preso na Bolívia Battisti não tentou fugir e às perguntas dos policiais responder em português. Os investigadores italianos estavam já há uma semana na Bolívia e depois de localizar a região onde Cesare Battisti estava começaram a segui-lo. Antes de intervirem foram tomados todos os procedimentos para confirmar que era realmente Cesare Battisti e depois disto a prisão foi feita por policiais bolivianos, que o prenderam no meio da estrada. Durante a prisão ele disse que não tinha os documentos quando foi perguntado pelos policiais e só apresentou os documentos Brasileiros na delegacia. Para encontrar Cesare Battisti os investigadores com coordenação do Procurador-Geral De Milão Antônio Lamanna usou um sistema de controle sofisticado, em mais de 10 celulares tabletes e computadores. Durante a fuga ele chegou usar até mesmo uma rede social e dos 15 aparelhos monitorados, três celulares eram usados pessoalmente pelo terrorista. Cesare Battisti teve uma rede de proteção que o ajudou a fugir e sobre a qual, o governo italiano e as demais autoridades (Brasileiras e Bolivianas) estão investigando, segundo disse o chefe departamento antiterrorista Lamberto Giannine, reconstruindo as principais passagens da captura. Para ser fugitivo é necessário uma série de deslocamentos e contatos e com a nossa presença, constante no território e monitoramento constante, nos consentiu de encontrar o paradeiro e depois prender disse Giannine Segundo as primeiras investigações existem de no mínimo 10 pessoas, entre Brasileiros bolivianos e até italianos que deram proteção a Cesare Battisti. Uma força-tarefa entre Brasileiros bolivianos e italianos ajudou no trabalho de captura do terrorista. O terrorista foi condenado a prisão perpetua na Italia e em 1.981 tinha fugido do cárcere de Frosinone e não voltou mais para a Itália.
 foto ao lado: Cesare Battisti, quatro mortes nas costas, e seu protetor o ex- ministro da Justiça do PT, Tarso Genro, no Fórum Social Mundial de Porto Alegre, aguardando a chegada da presidente Dilma