Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte

CRONICA E ARTE  CNPJ nº 21.896.431/0001-58 NIRE: 35-8-1391912-5 email cronicaearte@cronicaearte.com Rua São João, 869,  14882-010, Bairro Aparecida Jaboticabal SP
JUIZ SERGIO MORO É O MINISTRO DA JUSTIÇA DE BOLSONARO Mentore Conti Mtb 0080415 SP // foto Crônica e Arte Jaboticabal, 1 de novembro de 2018 O juiz federal de Curitiba Sérgio Moro, aceitou na manhã de hoje quinta-feira, dia 1, o cargo de ministro da justiça no governo de Jair Bolsonaro, eleito em segundo turno no último dia 28. O anúncio foi feito por uma nota do próprio juiz paranaense, nos seguintes termos: “Após reunião pessoal, na qual foram discutidas políticas para a pasta, aceitei o honrado convite". O presidente eleito Jair Bolsonaro disse que o trabalho de Sérgio moro, com uma agenda anticorrupção, anti crime organizado e o respeito à constituição e as leis, serão a linha mestra do governo. Sérgio moro ficou cerca de uma hora e meia com o presidente Bolsonaro e quando saiu, acenou para multidão que estava na frente da casa do presidente no Rio, onde foi a reunião, mas não deu entrevista Segundo Sérgio moro ele lamenta deixar 22 anos de magistratura, mas na perspectiva de implementar uma forte agenda anticorrupção e anti crime organizado e o respeito à constituição e as leis fez ele tomar a presente decisão. A operação lava jato deve continuar em Curitiba e Sérgio moro deve se afastar rapidamente para afastar controvérsias desnecessárias nas próximas audiências. Sérgio moro é natural de Maringá. Moro assume o governo em um período de violência altíssima em sociedade. Assaltos a banco em forma de um novo cangaço, um país quase dominado, pelo narcotráfico e o judiciário muitas vezes amedrontado diante da violência. Basta ver, para perceber este medo, como os fóruns, inclusive de cidades pequenas, foram nos últimos anos, cercados como se fossem casarmos da polícia militar. Vários estados estão na situação em que está o Rio de Janeiro em relação à violência. Embora o Rio de Janeiro apareça mais, porque lá existem sedes de televisões e rádios importantes, estados como Espírito Santo, Pernambuco e mesmo São Paulo não ficam atrás em níveis violência. Em nossa região por exemplo, nós temos o índice de criminalidade altíssimo, mesmo em relação ao homicídio, onde em algumas semanas, existe um crime de morte, por dia. Alguns criminosos em cidades maiores como Rio de Janeiro chegam a ostentar fuzis e carabinas, passeando com elas no meio da rua como se eles fossem autoridades. A criminalidade ficou tão comum que muitos jornais atribuem títulos de comerciantes aos criminosos e ao invés de falar que eles se reúnem em covil, falam que o bando criminoso tem um quartel- general. Como se, na boca do jornalista, um bando criminoso fosse a própria polícia militar. Outras vezes fala-se em gerente do tráfico, como se o tráfico fosse uma empresa. Assim vemos que a sociedade, vagarosamente glamourizou o crime. Estes fatos aconteceram principalmente nos últimos 13 anos de governo de Dilma Rousseff e Luiz Inácio lula da Silva.