Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte

CRONICA E ARTE  CNPJ nº 21.896.431/0001-58 NIRE: 35-8-1391912-5 email cronicaearte@cronicaearte.com Rua São João, 869,  14882-010, Bairro Aparecida Jaboticabal SP
PEDRAS, BOMBAS DE GÁS LACRIMOGÊNEO E BALAS DE BORRACHA EM FRENTE A POLICIA FEDERAL DE CURITIBA NA CHEGADA DE LULA Mentore Conti Mtb 0080415 SP // fotos: frame de filme de TV Jaboticabal, 8 de abril de 2018 Um grupo de manifestantes petistas, que estava à espera Luiz Inácio Lula da Silva na polícia federal de Curitiba, criou o tumulto quando o ex-presidente saiu do helicóptero. Era por volta das 10:40 horas da noite e o grupo se concentrava em frente ao prédio da polícia Federal em Curitiba. Segundo as primeiras informações, não oficiais, reportadas, dizem que os manifestantes atiraram pedras contra os policiais e grupos de imprensa. A polícia teve que reagir com bombas de gás lacrimogêneo e disparos de balas de borracha. Um coronel da Brigada Militar do Paraná que guardava ou em torno da polícia Federal no momento do incidente, disse em entrevista num canal de TV, que viu duas explosões no chão no meio dos manifestantes. Os manifestantes estavam na rua sandália Monzón e com a reação policial recuaram para Rua João Gbur. Duas pessoas ficaram feridas. Já os manifestantes falam em em pelo menos oito feridos e quatro crianças atendidas, como reportou o site Brasil de Fato. O senador Lindbergh Farias, que estava com Gleisi Hoffmann, presidente do PT, em Curitiba, deu assistência aos manifestantes.  O presidente do PT do Paraná, Dr. Rosinha, em entrevista ao site Brasil de Fato afirmou que os primeiros disparos foram realizados por agentes da Polícia Federal, enquanto lideranças do ato em favor de Lula negociavam condições para a continuidade da vigília com agentes da PF.  Os manifestantes favoráveis a Lula começaram a se aglomerar por volta das 16 horas no sábado O que foi chamado pelo PT do Paraná vigília permanente em frente ao local. Este grupo prestaria solidariedade ao ex-presidente.  Ao longo do dia alguns incidentes ocorreram entre militantes petistas e manifestantes contrários a Luiz Inácio Lula da Silva sempre em frente à polícia federal em Curitiba.  O grupo Curitiba contra a corrupção que geralmente faz atos em apoio à operação lava jato também fez manifestação em frente ao prédio da Polícia Federal e a tensão aumentou no local. Jornalistas que acompanhavam a movimentação da chegada de Lula também foram agredidos por manifestantes que estavam ali em apoio ao ex-presidente.