Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte

CRONICA E ARTE  CNPJ nº 21.896.431/0001-58 NIRE: 35-8-1391912-5 email cronicaearte@cronicaearte.com Rua São João, 869,  14882-010, Bairro Aparecida Jaboticabal SP
PREFEITURA DE JABOTICABAL RESCINDE CONTRATO DE IMÓVEL QUE ALUGOU E NÃO USOU Rescisão custará R$ 205.928,94 Mentore Conti Mtb 0080415 SP // foto: google maps Jaboticabal, 31 de julho de 2020 Jaboticabal a Prefeitura de Jaboticabal deverá pagar o valor de 205.928,94 reais para rescisão de um contrato de locação de um imóvel. O valor é referente a multas e rescisão e o prédio que fica na Avenida Carlos Berchieri era sede da antiga concessionária Renault que tinha na cidade. O contrato tinha sido firmado em 2019 e a Câmara Municipal tinha autorizado uma verba para reforma e utilização do prédio para criar ali um departamento, com serviços de “mini Poupatempo” para licença de veículos, renovação de carta emissão de RG e etc. O município contudo rescindiu o contrato do prédio na Avenida Carlos Berchieri. No mesmo período o município passou a alugar um prédio na saída da nova Jaboticabal, que fica próximo à rotatória do Rotary Club. Segundo o vereador Beto Ariki (PTC), ao tomar conhecimento do fato ele foi verificar no site da transparência da prefeitura e estranhou o fato do valor da rescisão, já que o valor do aluguel girava em torno de r$ 8000 e uma indenização normal não seria tão alta a ponto de chegada 205.928,94 reais como consta no site da prefeitura. Um outro fato estranho foi, segundo Ariki, troca de local para instalação do órgão, sem uma necessidade aparente da referida troca. O vereador apresentou requerimento para que a Municipalidade forneça mais explicações do valor alto em relação ao contrato assinado no prédio que a prefeitura não vai utilizar mais e também o porquê da troca, já que não havia uma necessidade aparente para tanto. O valor da rescisão a primeira vista é muito alto em relação ao valor do contrato e portanto a conta não fecha frisou Beto Ariki. “Não é o caso de ser contra a prefeitura mas de saber como o dinheiro público é utilizado concluiu o vereador”. Em contato com o município, foi esclarecido que o prédio da Av. Carlos Berchielli (a “Marginal”) era para o mini Poupatempo em convenio com órgãos estaduais e federais e a prefeitura entraria com o imóvel. O prédio já havia sido alugado, mas or órgãos estaduais e federais  desistiram de continuar o projeto. Já o prédio na saída da cidade será um espaço para facilitar o atendimento ao jaboticabalense. A prefeitura ficou de enviar uma nota com os detalhes da rescisão do contrato, como o porquê exato da rescisão por parte dos orgãos federais e estaduais, valores etc, mas até as 14:50, desta sexta-feira o Site Crônica e Arte não teve a resposta complementar. Havia sido informado à prefeitura que o horário da publicação da matéria era hoje as 13:00 horas.