Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte

CRONICA E ARTE  CNPJ nº 21.896.431/0001-58 NIRE: 35-8-1391912-5 email cronicaearte@cronicaearte.com Rua São João, 869,  14882-010, Bairro Aparecida Jaboticabal SP
COMISSÃO ESPECIAL DE INQUÉRITO NA CÂMARA DE JABOTICABAL INVESTIGA IRREGULARIDADES E SUPERFATURAMENTO DE CONTRATOS ASSINADOS PELA CÂMARA Mentore Conti Mtb 0080415 SP Colaboração especial de Rogério Constantino do Jornal Cidades Jaboticabal // foto divulação // Grupo de Notícias-Noticias da Região do Jornal Cidades Jaboticabal, 9 de novembro de 2019. A Comissão Especial De Inquérito na Câmara Municipal de Jaboticabal CEI chamaram a polícia, porque foi negado acesso a documentos que estão sendo investigados pela Comissão, ou seja os contratos de gerenciamento do site da Câmara, transmissão das sessões e de internet e ainda de consultoria.  A CEI foi criada para apurar possíveis irregularidades em procedimentos licitatórios na Câmara destes contratos e de superfaturamento destas contratações. O pedido para a criação da CEI foi encabeçado pelo vereador Pepa Servidone (cidadania) e subscrito pelos vereadores Beto Ariki (PSL), Ednei Valêncio (PL) João Bassi (PATRI) Paulo Henrique advogado (PATRI) Dona Cidinha (REPUBLICANOS) Daniel Rodrigues (PSC).  Os contratos sob análise são feitos entre a Câmera e as empresas Open Legis Informática (tv/web, prestação de serviços SAPL gestão de processos legislativo), Expand Consultoria e Assessoria, e TMO Consultoria e Assessoria. A suspeita é que existe irregularidades no processo de licitação e superfaturamento. Com a empresa que gerencia o site e faz as transmissões das sessões  da casa Legislativa, a Câmara gasta 20 mil reais  por mês sendo que oito mil apenas a transmissão das Quatro sessões mensais. A Câmara gasta ainda 10 mil reais com a assessoria jurídica para os departamentos da câmara em relação ao Tribunal de Contas. O Presidente da Câmara Pretto Cabeleireiro, do partido cidadania, (entrevistado pelo jornalista Rogerio Constantino) disse que nenhum dos contratos analisados pela Comissão Especial De Inquérito, foram feitas na sua gestão, sendo que o contrato de e Assessoria Jurídica existe há mais de 20 anos, ou seja referente a outros mandatos e a outras legislaturas. Segundo Pretto Cabeleireiro, todos os contratos e documentos estão disponibilizados para a CEI que terá total liberdade para agir e se algum erro por encontrado a Presidência da casa determinará o que o contrato deixa de vigorar.  O presidente da Câmara disse ainda que empresa de digitalização foi contratada, com consulta a todos os vereadores de plenário, que concordaram com a aquisição do serviço e se for verificado, que houve erro ou que os vereadores se enganaram, ou ainda, que não é mais necessário para o serviço o contrato também será desfeito.