Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte

CRONICA E ARTE  CNPJ nº 21.896.431/0001-58 NIRE: 35-8-1391912-5 email cronicaearte@cronicaearte.com Rua São João, 869,  14882-010, Bairro Aparecida Jaboticabal SP
DR. JEKYLL E MR. HYDE Um artigo de Mentore Conti Mtb 0080415 SP // fotos: internet divulgação Jaboticabal, 3 de março de 2019 O filme que o Site Crônica e Arte apresenta agora, um filme baseado no conto de 1886, do escritor Robert Louis Stevenson (1850- 1894)), “O estranho caso do Dr. Jekyll e do Sr. Hyde”,  já o filme tem o nome de “Dr. Jekyll e Mr Hyde” no Brasil traduzido também como “O médico e o Monstro”. O conto deste autor escocês (Reino Unido), no qual se baseia o filme que assistiremos, foi um conto escrito na época em que a droga não era proibida, uma vez que a proibição dos entorpecentes começou em 1914 e a partir de 1920 estava proibida no mundo inteiro, devido aos malefícios que trazia, para seus usuários. Escrito em uma época de liberação dos entorpecentes o autor, retrata bem os malefícios que a droga provoca. No enredo vamos ver um médico conceituado, que descobre uma substância, que consegue liberar uma parte reprimida de sua personalidade. A versão que assistiremos inicialmente é uma versão de 2003 mas, o site crônica e Arte apresenta também uma versão em curta-metragem de 1912, (da época do cinema mudo) onde A dramaticidade da liberação da parte escondida de Dr Jekyll é apresentada de forma muito mais dramática do que na versão de 2003. Esse conto é uma obra de drama e terror e é um clássico que já foi filmado inúmeras vezes. Neste ponto devemos lembrar que esta obra lembra a teoria de Cesare Lombroso, que em síntese diz que o homem moderno, por detrás de seu refinamento cultural, tem o homem de Neandertal, e que, em algumas circunstancias (nervosismo, álcool, entorpecentes, e problemas psíquicos, libera este lado e se torna violento. Em uma época em que se faz Apologia aberta a favor das drogas, esquecendo-se, dos malefícios, conhecidos e não divulgados dos entorpecentes, este filme torna-se uma obra indispensável para se apresentar e se divulgar. Qualquer livro de psiquiatria sobre a questão, traz os malefícios que a droga provoca, mas como a sua proibição Ou seja a proibição dos entorpecentes, ocorreu há mais de 50 anos, muitos criminosos usam da ingenuidade de médicos, juízes e até ministros do STF, além de profissionais de várias áreas, para tentar liberar os entorpecente, descriminalizando as drogas e afirmando falsamente que não há perigo na liberação. Quando se fala que o álcool é tão maléfico quanto um entorpecente hoje proibido se cria um erro grave. O álcool se usado em doses excessivas, provoca problemas a quem usa, mas não ao ponto dos problemas provocados pela cocaína, heroína, maconha ou qualquer outro narcótico. Feita esta introdução vamos aos filmes sendo o primeiro filme a versão de 2003 e o segundo a versão de 1912
clique na foto do projetor abaixo e veja a ficha técnica e elenco dos filmes apresentados
clique abaixo e assista ao filme:
assista abaixo (depois da matéria) os filmes
O filme de 2003:
O filme de 1912: