Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte

CRONICA E ARTE  CNPJ nº 21.896.431/0001-58 NIRE: 35-8-1391912-5 email cronicaearte@cronicaearte.com Rua São João 869,  14882-010 Jaboticabal SP
PARA  INGLÊS VER Limpar o caminho por onde o padre vai passar. A frase é um ditado mas ultimamente ela está muito presente nas decisões de muitas autoridades. O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu uma liminar na ultima sexta-feira para proibir a realização de operações policiais em favelas do Rio de Janeiro durante a pandemia do novo coronavírus, sob pena de serem responsabilizados civil e criminalmente. Ao que parece a decisão é para Inglês ver. Pouco será feito e o pobre, morador da favela sofrerá mais pois verá uma ação do Estado apenas onde o padre passa. O reflexo dessa decisão não poderia ser outra a não ser o aumento do poder das milícias que controlam as comunidades do Rio de Janeiro. Os moradores de uma favela na cidade de São Gonçalo por exemplo, logo após a publicação desta decisão, começaram a receber em suas caixas de correios, um comunicado dos chefes do tráfico que casas deveriam pagar R$50,00 por semana, e cada comercio R$ 300,00 por semana para custear a segurança do local. Em todos os lugares existe periferia mas os governantes não residem nestes locais. Longe de estarem pagando por gatos na eletricidade, TV por assinatura piratas e frequentar as UPAS e CIAFs em filas intermináveis e esperas infinitas por exames e consultas  médicas, estão seguros e confortáveis em suas mansões. Esboçam impaciência dentro de seus carrões de vidro escuro, quando precisam aguardar a abertura do semáforo, e nem pensam em ter na frente de sua casa ou condomínio lâmpadas queimadas. Certamente nenhuma autoridade jamais proibirá a ação da polícia em local que reside um “manda chuva”. E não haverá milicianos cobrando mensalidade para garantir a segurança do figurão, pois o Estado o fará com habilidade quase perfeita. Para todos os efeitos existe também o que parece ser mas não é. Um recapeamento de rua aqui ou ali, uma doação com direito a fotografia e reportagem na mídia para tentar comprovar o que não existe de fato. Fazendo alusão aos tempos do Império com a frase “para Inglês ver” irão arrumar o lugar somente no caminho por onde o padre passa, prometendo muito e fazendo pouco e as consequências serão as piores possíveis.
Dr João Martins Neto
fotos:Clube Militar e EBC e internet foto 1 favela; fotos 2 e 3 jagunços modernos (miilicianos) foto 4 jagunço antigo
Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte