Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte

CRONICA E ARTE  CNPJ nº 21.896.431/0001-58 NIRE: 35-8-1391912-5 email cronicaearte@cronicaearte.com Rua São João 869,  14882-010 Jaboticabal SP
FALTA VERBA PARA O COMBATE A PANDEMIA??? ONDE ESTÁ O IMPOSTO ARRECADADO????? Jaboticabal, 29 de julho de 2020 Prezados leitores eis que continua a estória da falta de leitos hospitalares, mesmo depois de todo este tempo de pandemia, que segundo consta não dá sinais de acabar. No início falava-se que o isolamento era principalmente para evitar um contágio rápido da doença, enquanto os governos preparariam os hospitais, aumentando a capacidade de atendimento de cada unidade. Discutiu-se então qual isolamento adotar, ou o isolamento vertical, onde somente as pessoas vulneráveis ficariam isoladas, ou o isolamento horizontal, onde as pessoas, mais suscetíveis de se contagiar ou não, ficariam em casa. Foi adotado então o isolamento horizontal, mas ao invés de construir hospitais, aumentar leitos hospitalares, o que se viu na realidade, na maioria dos Estados, foi um festival de desvio de verbas que seriam destinadas a equipar hospitais e a comprar material para de proteção de médicos e enfermeiros. Muitas autoridades dão a impressão que estão querendo usar o assunto para candidaturas futuras. De todas as questões que envolvem o tema, uma que é pouco mencionada e se refere a quantidade de dinheiro que os governos dispunham para equipar hospitais, diante de uma epidemia que afetaria, como de fato afetou, muita gente.  Muitas autoridades agora alegam que não há dinheiro para aumentar leitos hospitalares, criar hospitais, mas ninguém comenta que com a carga tributária que o brasileiro paga e, já há mais de 40 anos, haveria dinheiro suficiente para primeiro, antes da pandemia ter hospitais decentes e em segundo lugar para aumentar em quantidade necessária, o tamanho dos hospitais e equipá-los, para atender a população.  O brasileiro paga em cada mercadoria que consome, de 30 a 40% de imposto e dependendo do produto pode chegar até mesmo a 50% de imposto arrecadado em cada mercadoria. Faça uma conta rápida e você vai perceber que a cada camisa que o senhor compra, pacote de arroz, de feijão, que o senhor compra, e em cada atividade que o senhor faz, existe o recolhimento de imposto indireto que legalmente deveria ir para o tesouro, municipal, estadual ou federal e depois voltar em forma de serviços.  Mas quando é para realizar os serviços, muitas vezes os governos empurram o problema, um para o outro e ninguém diz aonde o dinheiro foi parar. Escândalos e mais escândalos aparecem no Brasil com desvio de verba que deveria servir para equipar hospitais, construir mais hospitais e nada, a capacidade hospitalar continua ínfima. Eu não vou afirmar aqui que o SUS é um bom sistema, se fosse um bom sistema, não haveria médicos reclamando de falta de EPIs, não haveria um número insuficiente de leitos para a quantidade de população que temos. Em uma situação destas eu tenho receio pelos médicos também, trabalhando muitas vezes sem condições como vimos neste período.  E aqui eu pergunto novamente: Onde foi parar o dinheiro? Por mais que digam, o dinheiro já saiu do bolso da população, Mesmo da população mais pobre do país e de nossas cidades. Quando uma pessoa mesmo com poucos recursos ou pobre, compra alguma coisa, ele paga imposto. E aqui eu pergunto novamente: Onde foi parar o dinheiro?  Muitos vão dizer ah mas foram governos passados... isto não é desculpa, nosso sistema de leis estipula regras para coibir desvio de verbas públicas e, cabe a quem está no poder usar estas regras, ainda que seja para denunciar os antigos detentores do poder. O dinheiro dos impostos foi arrecadado e a nossa população continua depois de todo esse período, em meio a pandemia, sem trabalho por que as empresas fecharam, porque o comércio fechou. Uma população que muitas vezes vive sem saneamento básico em muitos locais do país, ou com abastecimento ruim de água, pois em muitas cidades, a água não chega ao consumidor, mesmo com a conta paga. E ainda tem gente e governantes que escrevem em redes sociais “lave as mão” #laveasmãos. Mas de que jeito lavar as mãos, se não tem água ou se a água falta como acontece em muitos municípios? E terminando este texto eu pergunto mais uma vez: onde está o dinheiro do imposto recolhido?
fotos: facebook do autor e EBC e dominio público
Mentore Conti Mtb 0080415 SP
Para ler em Smartphones gire seu aparelho na horizontal
Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte