Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte

CRONICA E ARTE  CNPJ nº 21.896.431/0001-58 NIRE: 35-8-1391912-5 email cronicaearte@cronicaearte.com Rua São João 869,  14882-010 Jaboticabal SP
A COVID 19 E O PÂNICO GENERALIZADO Jaboticabal, 17 de setembro de 2020 Prezados leitores,  Escrevo esse artigo quando está em minhas mãos o boletim epidemiológico a covid 19 em Jaboticabal, datado de 16 de setembro, boletim este já divulgado em sites/jornais. Por esse boletim a cidade contabiliza 683 casos confirmados sendo que 14 deles em Córrego Rico e nenhum Luzitânia.  Destes 683 confirmados, se recuperaram 613 e 27 pessoas estão em tratamento, sendo 43  óbitos. Antes de prosseguirmos devemos lembrar que este boletim, conta o número de contaminados, recuperados e de óbitos desde março de 2020. Neste ponto eu me pergunto como eu devo ler estes boletins, uma vez que, o número alarmante para uma cidade como Jaboticabal (que tem 80 mil habitantes em média) de 683 infectados refere-se a um número cuja contagem teve início em março de 2020 e não neste mês de setembro. Portanto nós tivermos em média 113 infectados por mês, dos quais 613 se recuperaram, numa média de 102 recuperações por mês. Aqui não está em questão o quanto foi repassado pela prefeitura ao Hospital, que como divulgado recentemente no Jornal Cidades, foi de aproximadamente 10,5 milhões. O que está em jogo aqui é como trabalhar com estes números, ou seja, ler o total desde o início e dar ênfase ao total e não dar ênfase ao número atual de pessoas em tratamento, ou dar ênfase aos recuperados e a média de doentes por mês?  O número de óbitos é de 43, não neste mês de setembro, mas desde março de 2020. Portanto nós temos uma média de sete mortes de covid por mês desde março 2020, início da pandemia. Claro que eu não estou aqui querendo minimizar uma morte de quem morre por covid, já que toda a morte é uma tragédia, sendo ela de covid ou não.  O que devemos ter em mente é o seguinte: será que não estamos transcurando outros doentes, para falarmos apenas de doentes por covid? Os números de 683 pessoas parecem alarmantes à primeira vista, mas se formos comparar este número com a última epidemia violenta que tivemos na cidade, a epidemia de febre amarela (1897-1898) nós tivemos 17 mortos por dia, na época, e não 7 mortos por mês, como hoje.  O número de mortos foi tão grande na época, que deu para criar o cemitério de São Bom Jesus, existente até hoje, um outro cemitério onde, hoje fica o Jardim São Marcos e onde na época estava instalado o hospital de isolamento (que depois se transformou no Hospital Santa Isabel) e ainda mais dois cemitérios aqui no centro, um próximo onde está hoje a Faculdade São Luís e o outro próximo à Praça do São Benedito. Até que ponto então, estamos não só em Jaboticabal, mas no Brasil inteiro, criando em cima de um problema grave, uma neurose coletiva, que culminará com a destruição do tecido social. Afirmo novamente, não estou minimizando as mortes de quem morreu por covid 19,  mas se nós tivéssemos que em Jaboticabal onde estamos, contar os contaminados por tuberculose, desde o início da cidade, porque naquela época já existia tuberculose, quantos casos de contaminados nós teríamos, de tuberculose, desde 1828, fundaçao da cidade? Se estamos cumulando os casos de contaminados de convid, é correto então, contar os casos cumulados de infecção por tuberculose, doença que tem um vírus que se transmite facilmente também. Nesse ponto podem alegar: ah mais contra a covid não tem remédio ou vacina.  Então vamos mudar de doença e escolher uma, aqui também que não tem até hoje vacina, a AIDS. Se tivéssemos que cumular os contaminados por AIDS em Jaboticabal, desde a década de 1980, quando ela apareceu, quantos aidéticos teríamos?  Devemos ter a cabeça no lugar, o problema está aí, o vírus não vai embora, nunca mais, com vacina ou sem vacina, com remédio ou sem remédio. Assim será que é correto em uma sociedade, continuar criando notícias aterrorizantes? Será que algum jornalista acredita que quando vier vacina o vírus morre e desaparece?  Não senhores vírus continuará e as contaminações continuarão. As mortes por covid, a partir de agora, mesmo com vacina e remédio, como acontece com a tuberculose, que tem vacina e remédio, ou mesmo com a AIDS que tem apenas um coquetel para manter estável ou contaminado, também continuarão.  Estamos criando com o covid 19, um número incontável de pessoas com transtornos mentais. Eu vi pessoas passando álcool gel em notas de real, assim que as tirava do caixa do banco. Em tenho conhecidos que estão lavando com agua e sabão as notas de real, quando estão em casa!!!  Dizem que a máscara funciona e fato funciona. Se ela funciona porque não usá-la para ir ao supermercado por exemplo, ao invés de impedir do Sexagenário de ir ao supermercado? Estão Tratando as pessoas como leprosos. Me desculpem o termo, mas nós estamos nos tratando, uns aos outros, como se fossemos todos os leprosos que não pudéssemos conversar com ninguém, como se não pudéssemos ter uma convivência social, tomando os devidos cuidados. Criou-se a campanha fique em casa, mas se esqueceu que matando o comércio, não haveria impostos para pagar medidos, remédios e hospitais. Ah mas a Europa fez assim, dirão alguns. Mas lá a previdência tem um benefício pago pelo contribuinte chamado caixa integração e com este benefício se pôde pagar o operário (portanto o dinheiro, não saiu do tesouro, e sim de uma contribuição que há muitos anos estava com a previdência) enquanto se fechou o comercio. Os países europeus graças as multinacionais que têm, não pararam de arrecadar para pagar hospitais. A cada ambulância FIAT, cada pneu Pirelli, cabos elétricos Pirelli, vendidos para instalar respiradores artificiais aqui, a matriz arrecadava na Europa. E o Brasil arrecadou de onde? No boletim de hoje em Jaboticabal, se nós formos analisar com cautela, vamos ver que em tratamento estão 27 pessoas, ou seja é um número para que tenhamos cuidado, mas não número que autorize o pânico geral, como vemos na cidade. Em nome desse Pânico geral está ocorrendo a destruição do comércio, a destruição da confiança dos moradores da cidade. Se continuarmos assim, quando de fato acabar esta curva epidêmica de covid, nós vamos ter então um número de pessoas enlouquecidas e deveremos abrir, aqui na cidade, um Hospital Psiquiátrico porque só o do São Marcos e tem uma ala psiquiátrica não vai dar conta.  Portanto diante do atual quadro é necessário sim cuidado e cautela mas é necessário acabar com esse Pânico desenfreado. Você, leitor deste site em outra cidade, tente ler com cautela as noticias e os números de Covid 19, não enlouqueça, para não terminar intoxicado de remédio para depressão ou outra doença ou num hospital psiquiátrico.
fotos: facebook do autor e EBC  dominio público e divulgação
Mentore Conti Mtb 0080415 SP
Para ler em Smartphones gire seu aparelho na horizontal
Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte