Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte

CRONICA E ARTE  CNPJ nº 21.896.431/0001-58 NIRE: 35-8-1391912-5 email cronicaearte@cronicaearte.com Rua São João 869,  14882-010 Jaboticabal SP
O CASO DOS DESVIOS DE VERBA DURANTE A PANDEMIA DA COVID 19 Mentore Conti Mtb 0080415 SP // foto Crônica e Arte Jaboticabal, 11 de junho de 2020 É incrível como no Brasil o combate a pandemia da covid 19 virou um caso de polícia e já resultou em um processo de impeachment ao menos. A cerca de 2 meses, veio a primeira notícia de desvio de dinheiro para a compra de respiradores artificiais, com superfaturamento isto no Estado de Santa Catarina. Depois no Rio de Janeiro começaram a surgir problemas com atraso nos hospitais de campanha, que não ficavam prontos, equipamentos hospitalares, incluindo respiradores artificiais (respiradores mecânicos), que não chegaram. Agora a polícia investiga no governo do Pará o desvio na compra de Equipamentos Médicos. Naquele Estado Helder Barbalho (MDB) e Alberto Beltrame passam por investigação, já que existe a suspeita de fraude na compra R$ 50 milhões em respiradores. Existem suspeitas também de superfaturamento inclusive no Estado de São Paulo, que usou a mesma empresa envolvida nos problemas do Rio de Janeiro, para comprar equipamentos médicos. É claro que tudo isso vai ser investigado e apurado, mas nesse ponto eu gostaria de saber de onde saiu tanto escândalo. Será que o interesse em pedir que a administração do combate a pandemia pelos Estados, era para que os Estados, diante de um período em que se faz compras sem licitação, pudessem através de alguns funcionários e de alguns governadores, desviar dinheiro?  Quando os estados gritaram contra o governo federal que eles deveriam orientar o combate a pandemia, a maioria pensou que esse combate seria feito com lisura, aliás é o que se espera de uma autoridade que governa um Estado em um período de pandemia como este.  Até mesmo STF autorizou que os estados e os municípios tivessem este controle, para que para que a administração e o combate da pandemia fosse mais eficaz, já que a população mora nos Estados e nos municípios. Lamentavelmente o que era para ser um benefício virou, ao que tudo indica, em ladroeira, ao menos, em parte dos Estados brasileiros.  Usar a pandemia para roubar não é perverso, é macabro. Somente pessoas insensatas e sem civilidade, podem pensar em praticar um ato criminoso se beneficiando de doentes e de mortos em um país. Me desculpem senhores, não há outro termo a ser usado, não existe outra forma de falar. Precisa ser muito sem vergonha, muito descarado, para usar de um doente e ganhar dinheiro com ele.  A hipocrisia em cima do povo brasileiro tem sido tanta, que muitos governos falam que o povo tem que lavar as mãos, mas ninguém nem um deles começou uma obra de saneamento básico que fosse para aumentar a quantidade de casas com saneamento básico no Brasil e levar esse saneamento até as favelas. Muitos me dirão que em dois meses não daria tempo de fazer tudo isso. Claro que não, mas qual administrador mostrou boa vontade ao menos começar a obra? Eu cansei de ouvir nesses dois meses a frase “fique em casa”, mas eu não vi quase ninguém, lembrar que no seu Estado, existiam e existem pessoas que moram na rua, que moram em mocambos. Esta responsabilidade foi empurrada para os municípios. Ninguém quis lembrar durante a frase “fique em casa”, que 50% da população brasileira é uma população pobre. Quando o assunto veio à tona nos jornais muita gente comentou, mas poucas autoridades tiveram coragem de falar e assumir que o país é um país onde 50% da população é pobre. No dia de hoje o governador do Estado de São Paulo anuncia que o Instituto Butantã se associou um laboratório chinês para produção de uma vacina. É uma das inúmeras vacinas que está em fase de testes no mundo. Mas diante de tanto problema que nós já tivemos com produtos chineses na área de saúde, não seria o caso de tomar cuidado numa parceria com a China? Até que ponto a China é um país com uma ditadura no mínimo estranha (um misto de comunismo e capitalismo), depois da vacina pronta, vai querer entregar isto porque teve parceria com o Brasil, ou vai vender isso a peso de ouro?  Afinal de contas o Brasil já foi vítima da China quando comprou máscaras e a China não entregou, porque tinha revendido a outros países, os lotes já vendidos ao Brasil por preço mais alto (ou seja, sem respeitar o contrato feito com o nosso país). Fato este alardeado por vários órgãos de imprensa no país.  Então a pergunta permanece: feita a vacina, concluída a vacina, o Brasil receberá um lote por que foi parceiro ou por que deverá comprar a peso de ouro, da China? Infelizmente vou ter que dar mais uma vez, razão ao general Newton Cruz, que participou do governo político militar (1964/1985), que em entrevista na GloboNews, disse que se ele tivesse que colocar um artigo na Constituição Brasileira, o único artigo que ele ia sugerir era um artigo onde estivesse escrito que todo brasileiro, tem que ter vergonha na cara. Depois de tanta roubalheira que começa a despontar é o que podemos pensar, ou seja, que para  parte dos brasileiros, que governa o país o que falta é vergonha na cara.
fotos: facebook do autor e EBC
Mentore Conti
Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte