Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte

CRONICA E ARTE  CNPJ nº 21.896.431/0001-58 NIRE: 35-8-1391912-5 email cronicaearte@cronicaearte.com Rua São João 869,  14882-010 Jaboticabal SP
ATÉ QUANDO? ATÉ QUANDO? ATÉ QUANDO? Um artigo de Mentore Conti Mtb 0080415 SP // foto internet divulgação Jaboticabal, 20 de fevereiro de 2020 Prezados leitores,  Até quando o Brasil vai ter uma parte dos seus profissionais, agindo como palhaços de circo. Que me perdoem os palhaços de circo. Até quando nós vamos ver parte da Imprensa, parte do Congresso Nacional e vários profissionais se deixarem levar por conversa afiada de uma testemunha que, para não falar o que deveria falar, trouxe à tona uma suposta conversa onde ele, disse que uma mulher teria se insinuado para ele, testemunha.  Afinal de contas a CPI era para saber sobre fake News ou para discutir se a testemunha conhecia uma mulher e a mulher tinha falado algo particular para ele? Que interessa, para um país de famélicos, onde existe 50% de brasileiros abaixo da linha da pobreza, mais de meio milhão de sifilíticos e onde a dengue não para de crescer, saber o que aconteceu para um depoente na frente de sua casa, em um fato que nada tem com o assunto de uma Comissão Parlamentar De Inquérito?   Será que nos tornamos um país de palhaçadas? um país onde a população se deixa dominar por uma porção de cretinos, que ao invés de discutir o que realmente é necessário, fica discutindo questão particular de um depoente, que usou o assunto para não falar o que devia falar? Mas não é só nesse ponto que nós vemos tanta besteira sendo feita no país. Os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal ficaram melindrados por que o general Heleno disse que não se pode fazer chantagem com verbas federais.  Ele não disse que está sendo feita referida chantagem, ele disse que em política não se pode fazer esse tipo de chantagem. Alguém sério discorda disto?  Afinal de contas se isso é uma democracia ele não tem direito a falar? Ou a democracia é só para aqueles que se acham Democratas e excluem os demais?  Um país que já confundiu nos governos passados, a cidadania com possuir Linha Branca de eletrodomésticos, (geladeira, fogão, micro-ondas etc) um país que escondeu a pobreza e para isto forjou, junto com parte da imprensa, a nova classe C que se revelou o engodo. Um país que depois de uma enchente em sua maior capital, que é São Paulo vai pular carnaval como se nada tivesse ocorrido, como se tudo tivesse as mil maravilhas, como se o brasileiro tivesse ganhando 10 mil reais por mês cada um e pudesse festejar à vontade, fora do período de carnaval, que é a terça-feira e nem feriado é, um pais assim pode ser chamado de um pais sério? Um pais onde governadores diminuem número de delegacias, em meio a uma violência descomunal, pode ser chamado de sério?  Mas o Brasil o País do Carnaval, como falava Jorge Amado, que inventa até ponto facultativo, que não é nem feriado e não deixa de ser feriado e não é dia de trabalho, invenção só para não trabalhar entre um feriado e um final de semana e se dá ao luxo de parar mais do que 6 dias além da terça-feira que antecede a quarta-feira de cinzas, pode ser chamado de sério? Mas o Brasil ele tem que festejar, é um país riquíssimo, apesar dos sifilíticos esquecidos pelas estatísticas na mídia, apesar do desemprego, apesar da mesquinharia que corre na política de todos os lados. As cidades estão desorganizadas com ruas esburacadas, em uma crise sem tamanho e parte da população se perdendo em discussões inúteis, discutindo em rede social, como se rede social fosse fórum de debate político. Esta parte da população brasileira deu conta de destruir até o carnaval.  Em uma entrevista para Globo News o General Newton Cruz (que atuou no período de 1964 a 1985) disse mas ninguém quis ouvir, que a Constituição Brasileira deveria ter com o primeiro artigo, que o brasileiro deveria ter vergonha na cara e isso resolveria todos os problemas do país.  De fato nós temos parte da população brasileira que não tem vergonha na cara nenhuma, que não passa de um Macunaíma como falava o Mário de Andrade, Macunaíma que é o herói sem nenhum caráter e assim que nasceu disse “ai que preguiça” e depois quer ser. Esta parte da população atrapalha o brasileiro trabalhador, que quer progredir, que quer morar em um pais decente, que não tolera jagunços, milicianos, mas que hoje é refém de uma casta que domina na grande mídia e que impõe a desordem no pais, sempre em nome de uma pseudodemocracia que diz defender.  Até quando? até quando nós vamos ter um país onde essa parte de brasileiros atrapalha quem realmente quer fazer alguma coisa nessa terra? até quando?
foto 1 mon. Ipiranda; foto2 Museu Nacional em Chamas; foto 3 montagem de fotos; foto 4 mon as Bandeiras foto 5 mon. Ipiranga
Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte