Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte

CRONICA E ARTE  CNPJ nº 21.896.431/0001-58 NIRE: 35-8-1391912-5 email cronicaearte@cronicaearte.com Rua São João 869,  14882-010 Jaboticabal SP
A CANDIDATURA DE LULA: UMA ANALISE POSSIVEL Mentore Conti Mtb 0080415 SP // foto Crônica e Arte (A bibliografia  citada está na biblioteca desta editoria) Jaboticabal, 23 de agosto de 2018 Prezados leitores estamos assistindo nesses dias na campanha eleitoral, atos inacreditáveis para qualquer país que se queira chamar de país sério. Me refiro aqui, especificamente a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva e o que ocorre em torno de sua “campanha política”. Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado em primeira e segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro. Queiram os seus defensores ou não, o juiz e o tribunal que o condenou são órgãos instituídos pela legislação Brasileira para fazê-lo. No processo que tramitou e que culminou com a condenação de Lula, ele exerceu o mais amplo direito de defesa e disso ninguém pode duvidar. Assim sendo se sobreveio uma condenação, esta condenação, em qualquer país de gente, em qualquer país onde tem homens que honram as calças, como se dizia antigamente, Lula pelas leis atuais está condenado e pela lei da ficha limpa, mas especificamente, não pode ser candidato. Se não pode ser candidato como prescreve a lei, deveria ter a hombridade de aguardar o último recurso ou cumprimento de sua pena e então, quando estivesse com sua situação regularizada diante da justiça, voltar a se inscrever como candidato e fazer campanha. Não adianta falar aqui que ele é inocente, legalmente falando e legalmente é o que vale no Brasil, porque ainda que eu saiba o Brasil é um país que tem leis, ele Lula é um condenado e de acordo com a lei da ficha limpa, não pode se candidatar. Para agravar a sua situação, a sua condenação é exatamente por corrupção enquanto esteve em um mandato eleitoral, não é uma condenação por ofensa, por acidente automobilístico ou coisa que o valha, é uma condenação porque ele Lula se corrompeu e no governo. Oras se assim o é, não deveria nem mesmo figurar em lista de pesquisa eleitoral. Se assim o é, o próprio partido já deveria ter colocado outra pessoa como candidato, como aliás citou Jaques Wagner em algumas de suas entrevistas. O que me espanta contudo, é perceber que mesmo indevidamente colocado nas pesquisas eleitorais, este senhor condenado por corrupção, obtém, segundo as pesquisas quase 40% dos votos. A este ponto eu estou me perguntando: em que país eu moro hoje? um país de ladrões? um país onde 40% das pessoas de vários níveis de escolaridade, acham que corrupção não é crime? acham que é normal é comum ser corrupto e dar um jeitinho? Pelo próprio tipo de condenação que sofreu, Luiz Inácio Lula da Silva, em um país sério, não teria nenhum partido que assumisse a sua candidatura. Durante a história nós tivemos a revolução comunista na Rússia (que se tornou depois, União Soviética) e o comunismo passou a ser denominado esquerda numa alusão a oposição na época da revolução francesa. Na antiga União Soviética quando Stalin morreu e veio à tona toda a sujeira que o seu governo tinha feito, khruschóv fez todo uma reviravolta e uma limpeza, acabando com a linha stalinista de governo. No Brasil quando houve esse processo na União Soviética, o partido comunista Brasileiro abandona a linha stalinista e muda seu modo de atuar. Com o passar do tempo vemos que ao invés da esquerda seguir na linha tradicional, que tinha sido criada na revolução russa, cada vez mais, ganhou influência do pensamento do comunismo italiano de António Gramsci (1891-1937). Para Gramsci a vitória do comunismo deveria ser feita, não por uma revolução, mas pela destruição dos três pilares que sustentavam a sociedade capitalista ocidental, ou seja a religião, a família e a filosofia greco-romana. Depois, a escola de Frankfurt aprimorando este trabalho, criou todo um estudo sobre como arruinar esses três pilares da cultura ocidental, para depois implantar o socialismo. A ideia central como podemos ver em Herbert Marcuse é a erotização da sociedade, Marcuse falava que através dessa erotização se destruiria todos as instituições sociais. Apesar de alertados do erro por Freud a linha do marxismo cultural continuou atuando criando todos os meios possíveis para corromper a sociedade. (Da revolução Hippie nos anos 60 à teoria de gênero, nos dias de hoje). No Brasil Paulo Freire criou todo o método educacional baseado em Gramsci e durante os últimos 13 anos vemos muita coisa da linha gramsciana sendo implantada no país. Devemos ser coerentes aqui e lembrar que nem toda esta teoria de Gramsci foi passada a quem é militante da esquerda hoje no Brasil. Desta forma muitos militantes que hoje gritam Lula livre, que fazem passeata, jornalistas de tendência esquerdista, e ouso dizer, muitos políticos influentes da esquerda, não sabem da teoria de destruição do Estado que compõem o pensamento gramsciniano introduzido na esquerda em todos esses anos. Gramsci em português, inclusive foi muito mal traduzido, sendo necessário ler sua obra no original em italiano para entender o quanto o seu pensamento é nocivo, queira para a sociedade atual ou mesmo para futura implantação de um regime socialista. Também é necessária uma leitura atenta de Herbert Marcuse, Shulamith Firestone Wilhelm Reich e outros, para se perceber o abismo no qual estamos chegando. Analisando a teoria de Gramsci e a linha da escola de Frankfurt, podemos estar diante de pessoas Gramscianas, que introduziram a defesa de Lula, na esquerda Brasileira, não para sua defesa, porque ele é inocente, mas para criar um ponto a mais de destruição das instituições sociais, desta vez do sistema eleitoral. Mesmo não sendo de esquerda, eu sei que os partidos que seguem essa linha, tem quadros muito diferentes dos que são julgados e dos que foram condenados pela lava jato. Pessoas que foram muitas vezes deixadas de canto por ordem, de condenados na lava jato, para evitar que estas pessoas pudessem consertar o que é a esquerda no país. Além desta questão a linha adotada hoje de defesa intransigente na liberdade de Lula, como meio de luta da esquerda, pode estar levando o país ao que ocorreu em 1966, quando as eleições foram canceladas porque a esquerda, em meados daquele ano, partiu para a luta armada em definitivo e como primeiro ato fez o atentado no aeroporto de Guararapes. Hoje nós não temos a guerra fria que pode ser um componente perigoso para o acirramento dos ânimos, mas temos fatores que podem causar convulsão. O Brasil continua sendo um grande produtor de minérios que gera interesse tanto para os Estados Unidos Da América quanto para países da Europa. Eles têm muito investimento aqui, que não gostariam de perder se o Brasil desse uma guinada socialista. Um outro fator que passa desapercebido é humilhação do Exército na intervenção do Rio De Janeiro. Na última vez que uma humilhação do Exército ocorreu, foi um dos fatores para a queda do império Brasileiro Na época, os políticos, depois da guerra do Paraguai, humilharam a vitória do Exército Brasileiro e em seguida quando o imperador Brasileiro dom Pedro II pune o Tenente Coronel Sena Madureira e depois puniu O Coronel Cunha Matos por motivos políticos. Essa questão militar, somadas a outras questões, fizeram com que Dom Pedro II perdeste o trono. A questão agora é: até que ponto a intervenção feita no Rio De Janeiro onde se cortou a possibilidade do Exército agir como deveria agir, não criou uma humilhação tão grande, que somada a esta confusão que estão fazendo nas eleições, pode gerar uma reviravolta? Um golpe de estado?
Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte