Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte

CRONICA E ARTE  CNPJ nº 21.896.431/0001-58 NIRE: 35-8-1391912-5 email cronicaearte@cronicaearte.com Rua São João 869,  14882-010 Jaboticabal SP
A GOTA D’AGUA? Um artigo de Mentore Conti Mtb 0080415 foto EBC Jaboticabal, 29 de janeiro de 2018 O Ministro do Supremo Tribunal Federal STF e presidente do Tribunal Superior Eleitoral, TSE Gilmar Mendes, foi vaiado, hostilizado em uma viagem aérea que partiu de Brasília e foi até Cuiabá Mato Grosso. Dentre as ofensas feitas por vários passageiros, estão a frase " o STF não presta para nada, tem que fechar aquilo lá" e “tá fazendo coisa errada é safado” (sic) e ainda: vira homem!!, além de outras ofensas.  Aqui devemos ponderar este à grau de insatisfação popular. grande parte da população chegou pelo desgaste do papel do STF perante a sociedade se expondo muito em redes de televisão e jornais e em parte e se metendo em qualquer assunto, mesmo em assunto que não são de competência jurídica da Justiça ou do STF. De alguns anos para cá mesmo havendo leis, que determinam que certos atos são crimes, o STF não mediu esforços para ampliar o direito de aborto, ou se manifestar a favor da liberação da maconha, com vários ministros a favor desta liberação, sempre atendendo ao pedido, muitas vezes que não tem possibilidade jurídica de ser atendido.  Além Deste fato vemos a sede de notoriedade que muitos ministros têm, pois mal dão seu voto e rapidamente correm ao primeiro repórter com a primeira câmera de televisão que apareça, para opinar sobre o certo e o errado. Como se a nação brasileira não tivesse mais dois poderes com suas competências específicas.  O ministro Gilmar Mendes, no caso de algumas prisões, notoriamente necessárias, já que os  réus tinham como interferir em provas e causavam problema com a sua liberdade, não hesitou em, liminarmente, liberar referidos réus.  Não se trata aqui de ser favorável as prisões a torto e a direita, mas muitos réus como Anthony Garotinho por exemplo se enquadravam perfeitamente no artigo 312 do código de processo penal e deviam ter a sua prisão preventiva, mantida.  Além desta atitude condenada pelos manifestantes no último final de semana, vemos também que ao contrário do que fala a mídia, que4 a justiça hoje pune também os grndes, isto não éw bem verdade, ou é verdade em parte.  Quando o réu não tem a notoriedade dos réus da lava jato uma liminar custa a sair. A ministra do Supremo Tribunal Federal foi a um presídio do norte do país e mesmo diante da pocilga que encontrou, além do belo discurso, nada fez de concreto para mudar aquela situação. Portanto diante desse descompasso entre decisões favoráveis à réus que tiveram e tem influência política e decisões desfavoráveis em processos que se arrastam por anos em desfavor de um brasileiro comum, a sociedade demonstra que está indignada.  Além disso, este comportamento dúbio de muitos ministros traz um desgaste para o judiciário, cujas consequências, por hora, são imprevisíveis, mas que podem levar ao descrédito total não só do Supremo Tribunal Federal, como também das demais instâncias do Poder Judiciário, criando um clima de insegurança jurídica, e gere até mesmo uma convulsão social.  Este fato não é novo e guardando as devidas proporções, lembremos aqui, o que aconteceu durante a revolução francesa de 1789. Na época quando os líderes da Revolução Francesa, Robespierre, Danton criaram o tribunal revolucionário para defender a revolução, contra possíveis investidas do rei que tinha sido deposto, este tribunal passou a intervir na sociedade em demasia acusando qualquer por qualquer por ato praticado de contrarrevolucionário, mas sobretudo intervindo exageradamente na sociedade.  Esta intervenção gerou uma instabilidade tão grande, que criou as condições para que Napoleão Bonaparte tomasse o poder e se tornasse Imperador, depois de um breve período como Consul. O período que antecedeu a tomada do Poder por Napoleão ficou sendo chamado na história de período do terror, pelo medo que causava o tribunal e a sua intervenção na sociedade. Como contraponto, temos os Estados Unidos da América que após sua independência em 1776, criou uma constituição com 12 artigos e que hoje tem 20 emendas, mas onde judiciário se manifesta dentro da lei sem notoriedade, sem que as pessoas saibam a opinião pessoal de casa juiz da suprema côrte. No Brasil a instabilidade gerada pela intervenção exagerada do STF, encontra grupos políticos ávidos não por democracia, mas por implantar ditaduras, ao estilo de Getúlio Vargas.  E nesta encruzilhada a população brasileira depois de 13 anos governo de Lula e Dilma Rousseff se encontra na sua maior crise, econômica, política e social sendo que parte desta crise decorre da destruição da noção de cidadania promovida neste período.  O Brasil nunca teve uma cidadania como países europeus o mesmo como os Estados Unidos da América do Norte, mas nos últimos anos o pouco de ideia de cidadania e o brasileiro tinha foi solapada à esquerda e à direita mas, principalmente por toda a política errônea criada pelo governo Lula que antecedeu Dilma Rousseff. . (leia Artigo anterior clicando aqui) O estar conivente com um ato de corrupção, como bem ficou demonstrado no processo que condenou Lula a 12 anos e 1 mês, fez com que o brasileiro médio passasse a entender que o Brasil é um vale tudo. Aliás esta sentença só confirmou a música do Cazuza quando ele fala em sua música Brasil: “Brasil! Mostra a tua cara Quero ver quem paga Pra gente ficar assim Brasil! Qual é o teu negócio? O nome do teu sócio? Confia em mim” Portanto as vaias recebidas pelo Ministro Gilmar Mendes é só a ponta do iceberg do buraco econômico político e social que nos encontramos hoje.
Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte